do futuro – pronome pessoal do caso reto da primeira pessoa do singular

por tam

Último suspiro em 2016. Leia também do futuro – prólogo

Uma vez escrevi: “Renasço assim da simbiose quase perfeita de quem fui mas, principalmente, das possibilidades de quem serei. Fênix” na despedida de Dois Mil e Crise, dando passagem ao 2016.

Evito usar pronomes em primeira pessoa, detesto. Retiro da escrita qualquer singularidade, por mais que a conjugação verbal aluda às particularidades da vida. Da minha própria. E dessa forma quem lê sabe de quem se trata. Às vezes, releio e corto todos eles, modifico sentenças e logo alcanço a fluidez necessária. Incomoda a alma. Desperta o desconforto. Porventura, as mulheres que habitam o corpo entram em consenso e exigem algum grau de impessoalidade. Conivência. Elas se acalmam.

Não tenho o costume de colocar metas e promessas para o ano que entra, uma vez que esse ritual que se impõe depois de 365 não me causa sensação mágica de que é possível. Apesar disso, é inevitável que esta escrita seja diferente de todas as outras.

Normalmente, submeto as palavras à frases frias e duras na descrição lúdica do passado, escrevo o meu próprio canto triste, enquanto as aves se deliciam do outro lado da janela. Dessa vez, não existe possibilidade, haja vista que 2016 nada mais foi uma sucessão de realizações, vitórias e rupturas que se construiram ano após ano, dia após dia, mesmo que em todos esses fatos a reação do corpo fora completa apatia ou extrema angustia. Ainda assim, sobrevivi. Se a vida passou e eu fiquei para trás em algum momento, dei largada à corrida e pude me alcançar, seja porque intensifiquei o tratamento, seja pelo aguçamento da percepção. Os atalhos foram se fechando. Os obstáculos reaparecendo.

Reside em mim a dificuldade de avistar o horizonte e futuro. Talvez o medo da imprevisibilidade e inconstância. As mudanças sempre foram tratadas negativamente. No entanto, hoje em dia, tornaram-se inadiáveis. O corpo e a alma ainda buscam sintonia. Na esperança de que a leveza de Paraty se perpetue. Eu já me alcancei. Encontro momentâneo. Superação de nós mesmas. Eu me transformo continuamente. Eu sigo em frente. 2017 e adiante. Além. Eu cada vez mais Eu. Viva.